Digital PR: o que é e como mudou a área de Relações Públicas?

Aprofunde seus conhecimentos profissionais com nossos artigos ricos e gratuitos.

Nos últimos anos, a área de Relações Públicas passou por profundas transformações por influência da área digital. Por isso, atualmente, os profissionais da área tratam de inúmeros canais e dialogam com um público mais amplo que há cinco ou dez anos, chegando à condição de Digital PR. 

Esse movimento requer uma série de adaptações táticas e estratégicas, especialmente com o uso inteligente da tecnologia e também com a ampliação das capacidades analíticas dos profissionais envolvidos. 

Quer saber o que mudou com a chegada dessa nova vertente? Então continue lendo!

O que é Digital PR?

Digital PR é o termo utilizado para caracterizar as Relações Públicas na era digital. Elas são definidas como o gerenciamento da reputação e da identidade de uma marca por meio do uso intencional de tecnologias digitais como:

  • blogs;
  • fóruns de discussão online;
  • redes sociais;
  • aplicativos de mensagens instantâneas (como WhatsApp, Telegram e Messenger);
  • entre outros recursos.

Embora os objetivos finais do Digital PR e das Relações Públicas tradicionais sejam semelhantes, seus meios diferem em muitos aspectos. Isso porque a as aplicações digitais mudam o equilíbrio de poder entre as organizações e seus diferentes stakeholders.

Em suma, quando falamos em Digital PR, estamos nos referindo à estratégia de Relações Públicas onde os relacionamentos digitais estão no centro.

Além disso, a gestão da imagem corporativa considera um público ampliado, atingindo mais pessoas do que os formadores de opinião tradicionais (jornalistas, editores etc.) — como você vai ver mais detalhadamente adiante.     

Quais são as principais mudanças na área de Relações Públicas?

Na maioria das organizações, os profissionais de RP são encarregados de gerar publicidade gratuita. Para isso, estruturam estratégias de relacionamento com a mídia, por meio de atividades como:

  • conhecer repórteres e editores dos meios de comunicação que falam com o público-alvo da empresa;
  • estudar ângulos que capturariam o interesse da mídia;
  • redigir e divulgar sugestões de pauta, comunicados, notas de esclarecimento e outros materiais, pois a mídia pode ter interesse e, assim, divulgar as mensagens da marca;
  • apresentar aos jornalistas histórias de interesse público envolvendo o negócio e também personagens da empresa (especialistas ou porta-vozes) que possam ser fontes ou ilustrar reportagens;
  • gerir a imagem corporativa e gerenciar eventuais crises que possam manchar a reputação da marca. Ou seja, agir preventivamente ou contornar detrações, fake news e outros problemas.

Embora essas atividades ainda se apliquem na maioria dos contextos de RP, o consumo das notícias mudou muito atualmente. E isso tem impacto nas estratégias da área.  

Afinal, hoje em dia, o primeiro lugar onde as pessoas se informam e consomem conteúdos é na internet. Além disso, elas compartilham as notícias que consideram importantes com seus amigos nas mídias sociais. 

Ou seja, a notícia que mais gera visibilidade não é necessariamente a que se encontra na primeira página do jornal ou na home um portal jornalístico. Em vez disso, serão aquelas que viralizam e geram um grande número de compartilhamentos.

Influenciadores vs. Formadores de Opinião: a nova dinâmica de RP

Seguindo esse movimento, a esfera da opinião pública se ampliou, fazendo com que um número maior de atores passassem a ter voz.

Por isso, para além dos jornalistas, pessoas comuns agora são formadores de opinião. Os influenciadores digitais, por exemplo, têm milhões de seguidores nas mídias sociais interessados em um único tópico, formando nichos específicos.

À medida que o equilíbrio de poder se alterna entre os jornalistas e o público, a atuação dos profissionais de RP também passa a considerá-lo como digno de diálogo direto.

Portanto, é preciso promover relações positivas com comunidades online, ampliar a conversa e monitorar comportamentos variados, incluindo uma avalanche de opiniões online.

Essa enxurrada, muitas vezes, faz crescer o volume de detrações e distorções da realidade. Afinal, quase dois terços do público na internet não consegue distinguir notícias reais de fake news, segundo o Edelman Trust Barometer.

Sendo assim, podemos observar uma mudança radical em relação à atuação dos profissionais de RP nos velhos tempos.

Isso porque, agora, praticando o PR Digital, eles são articuladores ativos de diálogos e relacionamentos e fazem da gestão da imagem corporativa um processo preventivo e praticamente ininterrupto. Então, não agem mais como “guardiões” da imagem corporativa.

Nova call to action

Como desenvolver uma estratégia de Digital PR?

Confira agora uma série de dicas para fazer um upgrade na estratégia de Relações Públicas da sua empresa, adotando o Digital PR!

Revisite o mapeamento do público-alvo

Um passo fundamental para desenvolver o Digital PR é reavaliar quem são os stakeholders da empresa. Invariavelmente, você vai perceber que públicos até então não considerados agora se relacionam com a marca de alguma maneira.

Isso pode incluir ativistas, influenciadores, blogueiros e outros que, de alguma maneira, falam sobre o mercado no qual a organização está inserida.  

Integre esforços com Marketing e Comunicação

Mais do que nunca, é preciso convergir os propósitos de Relações Públicas com os times de Comunicação e Marketing. Isso porque essas áreas costumam ter dados sempre atualizados sobre os stakeholders e têm interesse na reputação da marca e em seu alcance no mercado.

Essa aproximação é excelente para o intercâmbio de ideias, compartilhamento de ferramentas tecnológicas e, sobretudo, criação de planos de ação. Ela deve ser propositiva, ancorada em objetivos comuns.  

Implemente ferramentas tecnológicas

Não existe Digital PR sem o uso estratégico da tecnologia. Logo, é preciso investir em soluções para monitoramento de mídias, gestão de reputação,  gerenciamento de crises de imagem, entre outras funcionalidades. 

Amplie a inteligência de dados do time

O Digital PR também tem tudo a ver com captar, processar e analisar grandes volumes de dados (Big Data). Para isso, os profissionais devem saber operar ferramentas, fazer inferências e utilizar os insights obtidos para agir da maneira mais informada possível.

É isso que costumamos chamar de inteligência de dados: o manejo tático de  informações internas e externas para guiar decisões assertivas e em tempo hábil

Defina indicadores e métricas

Também os indicadores e as métricas de Relações Públicas devem ser revisitados e ajustados no Digital PR. Por exemplo, é preciso abandonar o clipping por centimetragem e adotar novas medidas de valoração. 

Por definição, indicadores são as principais medidas que terão maior impacto no desenvolvimento da estratégia. Eles articulam e fornecem uma visão clara do que a área precisa medir e alcançar para atingir seus objetivos. Já as métricas são medidas de composição brutas, atômicas e simples, como formatos de valor e quantidade. 

Entre os novos tópicos a serem medidos, destacam-se:

  • valoração: quanto seria gasto em publicidade para alcançar o mesmo número de pessoas com mídias espontânea;
  • share of voice: comparativo das menções da marca com as concorrentes;
  • classificação das publicações: por exemplo, a verificação se as mensagens-chave da empresa são mencionadas;
  • promoção de marca: publicações classificadas como positivas;
  • entre outras. 

Meça continuamente o ROI 

Uma vez que ações de Digital PR entram em cena, é preciso monitorar os retornos sobre os investimentos (ROI). Aqui estão alguns tópicos que podem ajudar:

  • analise indicadores como taxas de abertura e respostas de e-mails, eficácia das divulgações etc; 
  • rastreie menções textuais à marca online e offline (positivas e negativas), backlinks, compartilhamentos sociais e impressões para avaliar o sucesso geral;
  • acompanhe os impactos que estratégia tem no tráfego dos canais digitais da empresa (classificação de página, autoridade de domínio etc.) ao longo do tempo.

Resumindo

O Digital PR está mudando os métodos tradicionais de Relações Públicas da melhor maneira possível. Quando feito corretamente, ele se transforma em uma parte crucial de sua estratégia para ajudar não apenas a construir, mas também a manter e desenvolver relacionamentos. 

Além disso, o Digital PR pode ser uma virada de jogo na reputação corporativa, o que coloca a marca na esteira da modernidade, evita crises de imagem e contribui para aumento da participação no mercado.


Sobre a Cortex

A Cortex é a empresa número 1 em soluções de inteligência para crescimento. Caso queira saber como analisar sua reputação e dos concorrentes em todas as mídias online e offline com monitoramento integrado em tempo real, conheça o Cortex PR

Se preferir, não perca tempo: agende uma conversa com a equipe de especialistas Cortex e traga sua estratégia de comunicação para a era dos dados.


Cadastre-se para receber nossos conteúdos do blog