Comunicação estratégica: aprenda 5 formas de impulsionar sua marca

Aprofunde seus conhecimentos profissionais com nossos artigos ricos e gratuitos.

Vivemos um momento em que a comunicação estratégica é essencial para as empresas, visto que a reputação corporativa está cada vez mais suscetível à opinião pública. Afinal, com a viralização das informações nas redes sociais, um trabalho de anos pode ser derrubado em poucas horas. 

Para se ter uma ideia, empresas correm o risco de perder 22% do negócio quando clientes visualizam um artigo negativo na primeira página dos resultados de pesquisas, segundo a Influencer Marketing Hub

Esse número tende a aumentar a cada publicação de cunho negativo. Com quatro ou mais resultados desse tipo, pode-se perder 44% dos clientes em potencial.

Ou seja, a receita do negócio é diretamente afetada quando a reputação sofre algum dano. E outro dado que comprova isso é que 41% das companhias que passaram por algum episódio danoso à reputação relataram uma perda de valor e receita da marca. 

Diante disso, vamos esclarecer neste conteúdo a importância da comunicação estratégica para a gestão de reputação e como se fazê-la para que a empresa atinja os melhores resultados. Vamos lá!

O que é comunicação estratégica nas empresas?

Comunicação estratégica é um termo usado para denotar as preocupações de alto nível por trás dos esforços comunicativos das organizações. Isto é, refere-se a uma prática multidisciplinar, que se baseia nos conhecimentos e ações de Comunicação, Relações Públicas, Marketing, Publicidade e até Administração, conforme define a Oxford University.

Também é correto dizer que uma empresa executa comunicação estratégica quando planeja e implementa táticas comunicacionais inteiramente ligadas aos seus objetivos de negócio.

E faz isso por meio dos canais certos, dirigindo-se a públicos específicos e mensurando resultados com métricas e indicadores quantitativos e qualitativos dos frutos obtidos — tanto em termos de reputação quanto de ganhos financeiros.

Diversas situações podem demandar a comunicação estratégica por parte das marcas, tais como:

  • presença ou ampliação dos meios de diálogo com o público
  • conquistar notoriedade no mercado;
  • crises de imagens;
  • lançamento de novos produtos ou serviços;
  • fazer ações de rebranding;
  • e muito mais.

Qual a importância da gestão de reputação para a comunicação estratégica?

Reputação é o resultado do que você faz, do que você diz e do que os outrosimprensa e influenciadoresdizem sobre você, segundo a definição do Chartered Institute of Public Relation. Como se sabe, a mídia possui grande relevância para a formação da opinião pública. 

Inclusive, é a responsável por definir os assuntos – o agendamento temático – que a sociedade discute. Diante desse contexto, profissionais de comunicação, atualmente, precisam encarar o desafio de mensurar o impacto das ações da área, incluindo o trabalho da gestão de reputação.

Esse é um processo diário, construído ao longo do tempo. Em contrapartida, em questão de horas o esforço pode ser jogado fora diante da viralização das informações nas mídias sociais.  

Assim, a gestão da reputação é uma atividade tão decisiva quanto a etapa de construção da imagem da empresa. Monitorar e controlar os riscos que podem afetar a percepção do público e da imprensa sobre a companhia é, de fato, uma das tarefas que mais demanda da Comunicação e Relações Públicas.

Como as organizações investem em comunicação estratégica?

Os profissionais desses departamentos, aliás, sempre tiveram o trabalho de desenvolver a comunicação estratégica de uma organização. A gestão da reputação faz parte disso, tornando-se hoje uma das grandes missões da área.

Nesse sentido, é possível adotar as seguintes práticas: 

intern - Como impulsionar a comunicação estratégica_ Conheça 5 formas

1. Melhore a presença nas mídias sociais para deixar a comunicação mais estratégica

Quem trabalha com comunicação estratégica sabe a importância de a empresa estar presente nos mais diferentes tipos de mídias digitais

Um dado que apresenta essa relevância é que 63% dos clientes esperam que as empresas ofereçam atendimento ao cliente por meio das redes sociais, e 90% dos usuários já usaram esses canais como uma maneira de se comunicar com uma marca.

Na prática, isso mostra como é imprescindível que as áreas de comunicação não negligenciem a mídia social como um canal importante de relacionamento com o cliente.

2. Participação das marcas nas mídias em relação a temas estratégicos

Como dito, estar presente nas mídias é muito relevante para a reputação da empresa. E essa criação de relacionamento com os clientes é como uma via de mão-dupla: ambos se beneficiam.

É possível responder a audiência quando ela faz um questionamento. A empresa, por sua vez, pode atuar para promover a satisfação do cliente, garantindo bons indicadores de customer success e a manutenção de uma boa reputação. 

Mas o que faz toda a diferença é ser capaz de transformar esse relacionamento em análises e tomada de decisão. Assim, a área consegue medir a imagem da organização e saber como ela está em relação a pautas estratégicas que a sociedade está debatendo.

Para isso, é preciso trabalhar com métricas de mensuração baseadas em dados. Uma delas, por exemplo, é a Share of Voice. Essa métrica é um indicador que aponta a participação da comunicação da sua empresa no mercado como um todo ou em relação aos seus concorrentes.

Além disso, as métricas de comunicação, marketing e relações públicas também podem ser avaliadas em relação a temas específicos que sejam relevantes para o planejamento da comunicação estratégica.

3. Análise qualitativa da presença da marca nas mídias

Diante desse contexto, apenas ter matérias publicadas nos veículos como ação de comunicação estratégica não é o suficiente para gerir a reputação. O que os profissionais que já trabalham orientados para a análise dos dados estão considerando é o sentimento causado pelas menções da empresa na mídia.

Assim, a metodologia que analisa e classifica as citações da marca podem ser quatro tipos:

  • Promotoras: elogios à companhia;
  • Detratoras: críticas à empresa;
  • Balanceadas: críticas, mas que dão voz para organização dar sua perspectiva;
  • Inócuas: menções que não impactam a imagem que o leitor tem da marca.

Além disso, é possível também acompanhar como as mídias se comportaram ao longo de um determinado período em relação à exposição e reputação da marca. 

4. Propósito e engajamento dos funcionários da empresa

Funcionários engajados e satisfeitos têm um desempenho 20% melhor que aqueles que estão desestimulados, e têm muito mais probabilidade de se tornarem defensores da marca, segundo o Institute for Employment Studies. Isso é também o reflexo de uma marca com um propósito bem definido e disseminado. 

Ainda sobre o assunto, um dado aponta que 89% dos clientes acreditam que uma empresa orientada a um propósito entrega produtos e serviços com uma melhor qualidade. 

Portanto, funcionários movidos por esse objetivo central tendem a trabalhar com mais afinco, se preocupando mais com o sucesso da empresa e necessidades dos clientes.

5. Resposta rápida a eventuais crises

Como vimos, o trabalho da comunicação estratégica em gerir constantemente a reputação é tão importante quanto o de construí-la aos poucos. Por isso, em casos de eventuais crises, o procedimento decisivo para os profissionais da área é agir rapidamente. 

E os dados podem ser um grande aliado nesse monitoramento em tempo real. Isso porque é primordial deixar claro para a imprensa e para os funcionários o posicionamento da empresa diante da situação. Assim, todos saberão como reagir.

Não subestime esse parecer rápido e transparente como ação da comunicação estratégica, pois isso pode salvar sua empresa de um colapso. 

eBook - Gestão de Reputação e crise

Resumindo…

A comunicação estratégica é um compilado de processos que trazem mais sistematização para o alcance dos objetivos gerais da empresa. Ela é essencial, pois, com a transformação digital, percebemos o quanto uma marca está vulnerável às opiniões dos clientes, influenciadores e público em geral. 

Junto a isso, fica claro que a gestão da reputação baseada em dados é mandatória para alavancar de forma concreta os resultados das empresas. 

A utilização desses insumos, dentro de um planejamento estratégico de comunicação, é fundamental para mensurar resultados, analisar concorrentes, prever pautas e até mesmo gerenciar crises.


Sobre a Cortex

A Cortex é a empresa número 1 em soluções de inteligência para crescimento. Caso queira saber como analisar sua reputação e dos concorrentes em todas as mídias online e offline com monitoramento integrado em tempo real, conheça nossa solução de Comunicação e Marketing.

Ou, se preferir, não perca tempo: agende uma conversa com a equipe de especialistas Cortex e traga sua estratégia de comunicação para a era dos dados.


Artigos Relacionados