Clipping de imprensa: 4 benefícios em torná-lo data driven

Aprofunde seus conhecimentos profissionais com nossos artigos ricos e gratuitos.

Tempo de leitura: 5 min

Você vai ler sobre:

  • A influência da internet na forma de se fazer o clipping;
  • Por que adaptá-lo para um modelo mais moderno;
  • Como fazer essa transição para um trabalho condizente com o mundo atual.

Há dois anos, o Brasil já tinha 134 milhões de usuários de internet. O dado é da pesquisa TIC Domicílios 2019.

Tal fato reforça o papel do ambiente online para as empresas, independentemente do segmento ou porte. Isso porque a democratização do acesso à internet permite que no mesmo espaço surjam elogios e comentários detratores de clientes insatisfeitos. 

Em ambos os casos, o clipping de imprensa é essencial para identificá-los. Então, se você ainda acha que o profissional de RP não deve olhar para as mídias digitais, está enganado.

Essa necessidade surgiu porque os comentários positivos, neutros ou as críticas publicadas pelo público nesses canais influenciam a reputação corporativa.

Quando se afeta o olhar do consumidor sobre a marca, as atitudes e decisões de compra do mesmo também estão em jogo. Portanto, caso algo transforme negativamente a percepção dele, a companhia pode sofrer impactos diretos nos lucros e receita.

Sabendo disso, dá para ver que a comunicação evoluiu. Por isso, o trabalho de RP também precisa estar de acordo com o mundo VUCA (volátil, incerto, complexo e ambíguo).

Sendo assim, os departamentos de RP devem tornar o clipping de imprensa mais estratégico e orientado a dados. Em outras palavras: contemplar todos os canais que impactam a reputação da marca.  Portanto, neste blog post, você descobrirá como fazer isso.

Importância dos dados na comunicação

Como vimos, o mundo atual requer rapidez das empresas. Logo, é indispensável repensar a forma de realizar o clipping de imprensa. Isso porque não basta apenas identificar a quantidade de menções feitas na mídia. É na qualidade delas que está um grande diferencial.

Comentários positivos podem comprovar o bom resultado de um planejamento de comunicação e também revelar oportunidades para a companhia. Por exemplo, se um influenciador digital elogiar espontaneamente a sua marca, esse novo relacionamento pode ser uma boa estratégia de Marketing de Influência

Já no caso de menções negativas, uma abordagem rápida ajuda a evitar crises de imagem. Da mesma forma, é mais fácil fortalecer a reputação da empresa quando ela é mensurada em tempo real.

Por isso, o uso de dados é um divisor de águas em RP. Quando a área de Comunicação adota um mindset data driven, começa a ter uma visão mais ampla e qualificada da presença digital da empresa. E quanto mais fontes de dados estratégicas, melhor.

Por que clipadoras tradicionais não são mais suficientes

Tradicionalmente, as clipadoras acompanham só os principais veículos de imprensa. A partir daí, enviam para a empresa contratante artigos e notícias com o nome da companhia ou termos estratégicos em três possíveis frequências:

  • diariamente;
  • semanalmente;
  • mensalmente.

Isso parece estratégico, certo? Em partes, sim. Isso porque ter esse acompanhamento permite que as organizações avaliem o retorno das suas ações. Todavia, a restrição de monitoramento por veículos tradicionais (jornais, revistas, TV e rádio) não é suficiente em um mundo conectado. 

Portanto, considerando a nossa realidade atual, o trabalho de RP ganha valor ao contemplar:

  • portais de notícias;
  • blogs confiáveis e renomados;
  • citações em perfis estratégicos nas redes sociais.

Além disso, receber o clipping somente uma vez por dia — ou pior, mensalmente — não é a frequência necessária para os profissionais de comunicação analisarem a reputação da empresa. No mundo VUCA, agilidade para reconhecer potenciais problemas ou oportunidades significa ganhar ou perder dinheiro

Portanto, contar com um clipping moderno, atualizado em tempo real e com camadas de inteligência, é o caminho já adotado por grandes empresas. Até porque todos os departamentos da companhia têm a ganhar com as informações encontradas por meio do trabalho de RP.

4 benefícios de um clipping de imprensa data driven

1. Melhor visão sobre a reputação da marca

Nem todo mundo abre um jornal impresso por dia, mas a maioria das pessoas abre um site ou portal de notícias. O UOL e a Globo.com, por exemplo, estão entre os 10 sites mais acessados pelos brasileiros, segundo o ranking da Alexa.

Por isso, a análise de canais digitais no clipping de imprensa te dá uma visão mais ampla sobre a popularidade e a reputação da sua empresa. Ajuda a antecipar, inclusive, potenciais crises.

Vale destacar aqui que a reputação está no topo da preocupação das empresas em relação aos riscos estratégicos, segundo pesquisa realizada pela Deloitte em 2017.

Nesse sentido, vale contratar soluções que integrem o clipping de imprensa tradicional aos dados vindos das redes sociais. Esse monitoramento integrado de mídias, em tempo real, simplifica o trabalho de RP e potencializa os resultados da área.

2. Acompanhamento das informações mais relevantes

O seu clipping não precisa — e nem deve — se referir apenas à sua empresa. Ele precisa reunir também assuntos que compõem seu universo.

Nesse caso, você consegue identificar, por exemplo, se a sua marca está ligada aos temas mais recentes ou relevantes que podem afetá-la.

Desse modo, você poderá rapidamente planejar uma estratégia para  vincular ou desvincular a imagem da marca ao que foi mapeado.

3. Personalização no clipping de imprensa

Um grande diferencial de uma clipagem de imprensa data driven é a personalização. Isso porque, com mais dados relevantes capturados, dá para montar dashboards e análises estratégicas para a empresa. Dois exemplos de aplicação seriam filtrar de acordo com:

  • a qualidade da menção na mídia;
  • pelo maior número de acessos em determinado conteúdo.

Você já parou para pensar como essa personalização contribui para uma visão completa do que impacta os resultados da empresa?

Essa é mais uma forma em que o clipping evoluiu, pois identificando o que te dá mais retorno, dá para direcionar melhor os investimentos seguintes.

4. Monitoramento de competidores

Quando o clipping de imprensa se moderniza, também dá para acompanhar a concorrência, sabia?

Alguns dados estratégicos para ficar de olho sobre seus concorrentes são:

  • Como eles são vistos no mercado?
  • A quais temas eles se relacionam?
  • Como está a reputação deste concorrente?
  • Qual é o share of voice deles em relação a sua empresa?

Acompanhar essas informações transforma, inclusive, o clipping de imprensa em uma ferramenta importante de benchmarking e inteligência de mercado. Assim, conhecendo as forças e fraquezas da concorrência, a sua empresa age de forma mais estratégica

Resumindo

O número de usuários de internet no Brasil só tende a crescer. Por isso, o clipping precisa ser adaptado para os desafios e necessidades da era digital.

Essa mudança de mindset sobre o papel do clipping na Comunicação traz benefícios como:

  • Melhor compreensão sobre a reputação da sua marca;
  • Conhecimento das informações mais relevantes sobre a empresa;
  • Personalização e filtro das análises;
  • Acompanhamento da competição no seu segmento.

Em resumo, o clipping de imprensa deixou para trás as métricas e técnicas ultrapassadas. O modelo atual oferece resultados e insights estratégicos na velocidade em que o mercado demanda, então não tem por que continuar preso ao passado.


Sobre a Cortex

Cortex é a empresa número 1 em soluções de inteligência para crescimento. Caso queira saber como analisar sua reputação e dos concorrentes em todas as mídias online e offline com monitoramento integrado em tempo real, conheça o Cortex PR

Se preferir, não perca tempo: agende uma conversa com a equipe de especialistas Cortex e traga sua estratégia de comunicação para a era dos dados.


Artigos Relacionados

Logo whatsapp