Como a inovação no varejo está revolucionando os softwares para lojas de roupas

Aprofunde seus conhecimentos profissionais com nossos artigos ricos e gratuitos.

Tempo de leitura: 6 minutos

Você vai ler sobre:

  • O cenário atual do mercado de varejo no Brasil
  • As principais inovações na área de varejo no mundo
  • Os softwares para lojas de roupas como um hub de inteligência de dados

O segmento do varejo de moda vem enfrentando ao longo dos últimos anos constantes transformações causadas pelas inovações tecnológicas.

No mundo todo essas novas tecnologias mudaram o modelo tradicional de produção, distribuição e venda de produtos.

Assim, em sua rotina, os executivos de rede e gerentes de lojas agora precisam lidar com grande número de dados dispersos, provenientes de diferentes dispositivos

Aqui no Brasil não é diferente. De acordo com informações da consultoria Frost & Sullivan, dos Estados Unidos, por exemplo, o Brasil é líder na América Latina no uso de Big Data, com 46,8% do mercado e uma receita de US$ 1,16 bilhão. Uma grande parcela desse número diz respeito à área de varejo.

Essa informação é positiva, pois indica que os varejistas do país estão buscando se inserir na chamada era dos dados. Para entender o que essa Era significa, vale comentar que todos os dias surgem 2,2 milhões de terabytes de novos dados.

Por isso tudo, a premissa para o bom desempenho tecnológico das empresas no mercado de varejo hoje passa justamente por captura, armazenamento e análise de toda essa informação.

Vamos conhecer agora os maiores desafios encontrados pelos gerentes e executivos do varejo. 

As inovações do varejo ao redor do mundo: como isso afeta o mercado nacional?

O varejo está evoluindo rapidamente e de forma globalizada. É por isso que gerentes e profissionais da área de vestuário no Brasil estão buscando se adaptar aos novos rumos e constantes mudanças o mais rápido possível.

Para entender melhor esse movimento, listamos abaixo algumas dessas tendências:

  • Plataforma de integração de dados: diz respeito a integração de lojas físicas e onlines por meio do uso de software para lojas de roupas;
  • Ofertas segmentadas: definição de ofertas conforme o perfil do cliente e, como consequência, o surgimento de um mercado ainda mais segmentado;
  • Maior uso de smartphones para pesquisa: hoje a busca por produtos será cada vez mais realizada pelos smartphones, sendo concluída em lojas físicas ou desktops;
  • PDV como centro de experiência: consumidores frequentando cada vez mais os pontos de venda como experiência de consumo e pesquisa.

Nota-se, portanto, uma transformação nos hábitos de compra dos consumidores e nas práticas do comércio varejista.

Naturalmente, as tendências mundiais têm grande reflexo no Brasil. E isso acaba por impor aos varejistas uma corrida pela atualização dos processos de trabalho de forma ainda mais intensa.

Mas como um softwares pode ajudar a integrar essas inovações constantes e ao mesmo tempo contribuir com um melhor desempenho na gestão de produtos, vendedores, e também na fidelização de clientes?

É o que será apresentado a seguir. 

A nova geração de softwares para lojas de roupas como um hub de inteligência de dados

Com as inovações do varejo, muitas das maiores empresas desse segmento estão repensando seus softwares para lojas de roupas. 

O objetivo agora é obter uma visão completa e integrada das informações e dados que os novos dispositivos tecnológicos geram. 

Para que, com isso, os varejistas possam gerir seus negócios de forma mais estratégica e melhor embasarem suas tomadas de decisão. 

Em suma, a nova geração de softwares para lojas de roupas promove:

  • Captura e armazenamento de dados: robôs capturam, limpam e organizam dados externos, internos e primários da empresa. Com isso, todos esses dados ficam armazenados em uma mesma plataforma, sendo possível acessá-los em tempo real;
  • Análises flexíveis: a possibilidade de fazer rapidamente análises complexas, que antes eram realizadas por meio de várias ferramentas diferentes. Essas análises podem ser segmentadas, de acordo com os produtos, vendedores e clientes;
  • Workflows integrados: fluxos de trabalho operados de dentro do software, permitindo uma comunicação mais rápida, integrada e transparente com todo o time. Há colaboração entre a matriz e as lojas, e vice versa. Isso também permite visibilidade para toda a empresa através de wallboards;
  • Tomada de decisão ágil: com todas as informações sobre time de funcionários, produtos e clientes, fica possível que os varejistas tomem decisões mais assertivas, com base em informações seguras e sempre atualizadas.

Ou seja, todo o processo acontece por meio de uma única plataforma. Funciona, na prática, como um grande hub de inteligência de dados.

É por isso que nos último anos as soluções de Big Data e ciência de dados vêm se destacando como o caminho ideal para solucionar os desafios do varejo de moda.

Resumindo…

O cenário de novas tecnologias no mercado de varejo já é uma realidade. São inovações baseadas em dados e que geram mais e mais dados. Com isso,  uma nova geração de softwares para loja de roupas começa a se destacar por combinar big data e ciência de dados no apoio à gestão.

Tal associação se apresenta como solução para integrar dados provenientes de múltiplos dispositivos tecnológicos e, assim, gerar mais inteligência de negócios a partir dessas informações. 

Como consequência, se tornou possível aos gerentes de lojas e executivos de rede atingirem os seguintes ganhos: 

  • Mais resultado em vendas;
  • Mais controle dos pontos de venda;
  • Mais assertividade para atrair e fidelizar clientes;
  • Mais agilidade na comunicação com os times de funcionários;
  • Tomada de decisão mais ágil e embasada em dados.

Sobre a Cortex

Cortex é a empresa número 1 em soluções de inteligência para varejo. Caso queira saber como aumentar as vendas e a lucratividade da sua rede de lojas, conheça o Cortex Retail.


Cadastre-se para receber nossos conteúdos do blog