Os 5 V’s do Big Data

Aprofunde seus conhecimentos profissionais com nossos artigos ricos e gratuitos.

Temos a certeza de que você já ouviu falar muitas vezes sobre Big Data, inclusive por aqui: já fizemos um infográfico para explicar o poder do Big Data e também comentamos sobre como ele pode contribuir com o crescimento de diversos mercados, como o de Recrutamento e Seleção. Agora chegou a hora de explorarmos os 5 V’s do Big Data e o significado de cada um deles.

Achamos que chegou o momento de explorarmos melhor o tema, para que você possa compreender todas as possibilidades que os 5 V’s do Big Data, quando bem trabalhados, trazem ao seu negócio (não importa seu setor ou o porte da sua empresa)!

O que são os chamados 5 V’s do Big Data

Se você pesquisar no Google ou outros buscadores, vai encontrar os 7vs, 8vs do Big Data, e por aí vai. Mas para este artigo, nós escolhemos os 5 principais, que eluciam os desafios de lidar com o volume gigantesco dos dados existentes e facilitam o entendimento sobre o conceito do Big Data.

São eles: Volume, Velocidade, Variedade, Veracidade e Valor.

5 V’s do Big Data:

Volume

Segundo dados do SBG (Social Good Brasil), o volume de dados criado nos últimos anos é maior do que a quantidade produzida em toda a história da humanidade. A produção de dados dobra a cada dois anos e a previsão é de que ainda neste ano sejam gerados 350 zettabytes de dados. Em outras palabras, 35 trilhões de gigabytes.

E como agora não são apenas os humanos que geram essas informações, pois praticamente qualquer objeto conectado à internet está abastecendo o Big Data. Ou seja, quanto mais desenvolvida for a Inteligência Artificial (AI) e a Internet das Coisas (IoT), mais dados serão criados. 

Este foi o primeiro dos 5 V’s do Big Data. Agora vamos ao próximo!

Velocidade

Quando falamos no uso estratégico do Big Data, pode-se afirmar que a velocidade é até mais importante que o volume em determinadas situações. Isso porque ela é a força que rege a vantagem competitiva, e pode ser mais interessante ter uma quantidade um pouco menor de dados em tempo real, do que uma enorme quantidade, que só poderá ser disponibilizada para uso depois de um tempo considerável.

Mas é claro que cada vez mais vemos soluções para o problema do timing correto de captação, organização e análise de dados: já existem plataformas totalmente automatizadas, que utilizam Data Mining para capturar somente os dados estratégicos e relevantes, em real time, de acordo com a natureza do negócio e os objetivos de cada empresa.

Variedade

Os dados provêm de diversas fontes: redes sociais, aplicativos, e-mails, gps, cookies, IoT, bancos de dados públicos, revendedores autorizados etc. O que significa que eles não seguem os mesmos padrões e nem fornecem os mesmos tipos de informação, o que torna a tarefa de compilação e organização de dados bastante desafiadora.

E, assim como o volume, a variedade de fontes de dados só tende a aumentar com o avanço tecnológico. Mas assim como a velocidade, já existem ferramentas que são capazes de lidar com a heterogeneidade de dados e conseguem processá-los e agrupá-los de forma coerente.

Veracidade

Esse assunto tem sido pauta recorrente, especialmente nos últimos meses. Com tantos dados disponíveis, como separar os verdadeiros dos falsos? Aproveite para reler o post que fizemos sobre como detectar uma fake news na era do Big Data.

A melhor forma para garantir a veracidade é ao contratar uma empresa que seja comprometida com a veracidade das informações fornecidas e que esteja de acordo com todas as normas ds LGPD e GDPR.

Leia também: Tudo que você precisa saber sobre a LGPD

Valor

Chegamos finalmente ao valor, o último e mais importante “V” do Big Data. Por valor, entende-se transformar um verdadeiro tsunami de informações em dados que efetivamente podem ser utilizados nos negócios.

Ou seja, de nada adianta ter acesso a um volume massivo de dados, se você não puder gerar valor para a sua organização, não é mesmo?

Algumas empresas realizam iniciativas de geração de valor por meio do Big Data, ao oferecer serviços de inteligência de mercado, por exemplo, a ITB360, que capta dados de mais de 17 mil fontes públicas em mais de 150 países. Além da captação, a plataforma oferece análises que permitem que empresas de todo o mundo utilizem a inteligência de dados para prever riscos, identificar oportunidades e guiar seus times de marketing e comercial para tomar decisões mais precisas.

Agora que você conhece os 5 V’s do Big Data. Como você pode utilizar o dados em seu negócio?

Todas essas informações coletadas enquanto estamos conectados são de grande valor, como já mencionado acima. Para os negócios, as informações profissionais como os dados de empresas, podem mostrar oportunidades que ainda não foram exploradas, ajudar a identificar que um determinado investimento deveria ser feito em outro mercado, pois daria mais resultado ou então captar possíveis clientes que realmente estejam em busca do seu produto ou serviço.

A análise de dados, quando é realizada com inteligência, pode ajudar todos os segmentos de mercado a conquistar mais receita, cortar custos e diminuir o ciclo de venda dos times comerciais.

Os dados, na prática, vão ajudar o seu negócio a fazer análises mais precisas, que mostrarão quais são as regiões do país ou do mundo que a sua empresa tem mais fit, o número de funcionários que esses propects têm, quais as tecologias que eles já utilizam e se a sua poderia agregar valor também.

Essas informações em tempo real diminuem também o tempo gasto dos seus profissionais, que procuram os contatos certos para vender mais, uma vez que poderão focar nos tomadores de decisão com potencial para fechar negócio.

É como falamos por aqui na ITB, data is not guessing – dados não é “achismo”. Então comece agora mesmo a traçar o seu planejamento estratégico com a ajuda dos dados e seja mais preciso na tomada de decisões!


Artigos Relacionados